Saturday, May 07, 2016

Acreditar tanto em algo ou alguém que o impossível passa a ser possível. A fé é algo que nos diferencia dos demais animais e é um passo evolutivo que tem até a concordância da ciência (aqui).
No entanto este texto não é para falar apenas da fé, mas dos poderes que acreditamos vir da fé, mas, antes, irei falar dos milagres da fé usando a maior religião da terra e sua óbvia e clara influência em todos nós: o cristianismo.
Um tempo atrás eu procurava uma religião que eu pudesse acreditar, algo que, como qualquer outra pessoa, pudesse me dar um sentido de paz e que me fizesse acalmar com o fato que, com a morte, não iria apenas acabar. O sentido de duração é algo forte entre nós, explica o porquê temos fé no inatingível, que não iremos simplesmente acabar com o final da vida. Este apego a continuidade é algo que nos faz ter fé em diversas coisas e a permanência que este algo pode nos trazer. O amor é uma destas coisas, complementarei mais à frente.
Nas minhas buscas por algo que me fizesse ter paz, pudesse colocar toda minha insegurança e ignorância e acreditar que era verdade, me fez ler sobre diversas religiões. A doutrina umbandista pareceu a que me mais agradou. Há diversos tipos de Umbanda, a que melhor me adaptei é algo descrito por Rubens Saraceni nos seus livros, uma Umbanda que é maior que as demais religiões, englobando-as, no entanto, usando os principais ícones destas religiões para explicar a sua doutrina. Jesus Cristo, nesta visão, é a fé.
Eu sei que irei receber uma série de críticas sobre esta definição do Cristo, não ligo, cada um tem a sua e Ele é quem sabe o que Ele é. Creio que nem eu, nem Jesus estamos nos importando muito sobre o que é correto ou errado na Sua descrição.
Para a Umbanda Sagrada de Rubens Saraceni, os Orixás não são personificações, mas sim emanações divinas, energia vinda de Olorum (Deus) que influencia a Sua criação e será demonstrada às criaturas nas suas diversas formas, de acordo com a capacidade de entendimento da criatura, inclusive em formatos de homens, e para que todos tenham a capacidade do entendimento de Deus. Assim, Jesus Cristo, sua era e ensinamentos nada mais é do que uma forma de apresentação da emanação divina da fé. Na Umbanda não há apenas Jesus Cristo, mas, como há de ser claro na atual era de influência, ele é o mais influente e, logo, a fé é algo que tem bastante força nos tempos atuais. Assim sendo, Oxalá, Jesus, Yeshua, etc é fé. Oxum é amor, Iemanjá é a criação, e assim por diante.
Algumas razões me fizeram acreditar nos escritos onde Jesus Cristo emanava fé. Apesar de muitos quererem acreditar que Ele é o amor, Jesus pregava a fé no amor. Ele acreditou sempre nos ensinamentos divinos apesar de ser muitas vezes questionado a colocado a prova. Algumas passagens bíblicas demonstram que a fé era o seu principal ensinamento. Quando ele ressuscita Lázaro, sua fé que ele pode trazer alguém a vida novamente o fez trazer Lázaro a vida. O poder divino de Jesus estava na sua fé em Deus e que, através desta fé, o impossível seria possível. Quando Pedro afunda ao tentar caminhar com Jesus sobre as águas, Cristo vira para Pedro ainda assustado e lhe diz: “Ó tu, de pouca fé, por que cedeste à dúvida?”.
Ter fé no amor, amar, é algo que nos faz acreditar no impossível. Nós esperamos o que não poderá vir e mesmo quando não vem, acreditamos que um dia virá. Homem de pouca fé, desacredito cada vez mais no tempo que o amor precisa para fazer o possível. Talvez seja possível que o amor vá mudar aquele que nós amamos, mas o tempo do amor é algo que não compreendemos da mesma forma que não entendemos a fé. Cristo estava correto, acredite no amor, difícil é manter a fé. Afinal somos todos Pedros não Jesus.
Osmar, 06.05.2016
Texto publicado no blog http://pessimistas.wordpress.com
Post a Comment